sexta-feira, 3 de setembro de 2010

When I loved myself enough

Impressionante como eu só começo a escrever quando estou muito cansada. Mas como vou cuspindo tudo, geralmente até que é fácil (neste momento não está sendo diferente - sobre estar cansada, digo). Hoje eu fui dar uma olhada num outro blog (bolsinha de mulher), e gostei de um poema que ela postou chamado "Quando me amei de verdade" de Kim Mcmiller. É simples, quase bobo, mas chega! Quando eu digo que alguma coisa no quesito arte chega, quero dizer que a coisa bate e entra. Bem no popular! E é assim que eu começo a avaliar arte seja ela qual for, só depois que ela chega em mim. Acho que o poema me veio (mais um termo esquisito nesse contexto, mas acho que dá pra entender) pela repetição do primeiro verso em todas as estrofes, eu também adoro escrever assim. Talvez seja porque quando a gente escreve alguma coisa, é porque essa coisa ficou martelando tanto dentro da gente, que a gente precisou botar pra fora! Gente, gente, gente...rs...tá vendo? Eu me repetindo como de costume! Vou postar a estrofe da qual mais gostei:

"Quando me amei de verdade,



deixei de temer meu tempo livre


e desisti de fazer planos.


Hoje faço o que acho certo


e no meu próprio ritmo.


Como isso é bom!"

Pois é...passei a amar meu tempo livre e a fazer coisas pra mim! Sem aquela loucura de acordar às 6 da manhã e dormir às 2h (da mesma manhã!) todos os dias pra ter que realizar e realizar e realizar mais! Agora eu tenho tempo pra escrever, dar atenção a quem e a quê realmente merece, e pros meus rituais de cuidar de mim mesma todos os dias. É, a gente cresce...

Um comentário:

  1. Excelente. Acho que o dom da vida é o equiibrio. É bom encontrá-lo, às vezes até fácil. Todos sabemos os nossos limites e o que é melhor pra nós. Para mim, o dificil é manter tal esquilíbrio na nossa vida ... parabéns pela escolha. :)

    ResponderExcluir