sexta-feira, 29 de abril de 2011

O Casamento Real...




Nessa onda de casamentos reais (onde se lê da realeza) eu vou pegar uma carona pra dar a minha opinião sobre casamentos reais, aqueles do dia-a-dia, que dão certo, ou dão errado, mas nunca deixam de se realizar, porque o amor, esse não deixa de existir de jeito algum!
Quem me conhece sabe do pavor que eu sempre tive de casamento, mas isso não me impediu de querer tentar, tentei, e gostei! Casar não é conto de fadas, há muitos problemas, mas há convivências que dão certo, e no meu caso acabou dando. Acho que a razão é muito simples, eu entrei de cabeça esperando o pior! E aí a coisa acabou me surpreendendo positivamente.
Sempre achei casamento a  coisa mais cafona do mundo e tenho uma estranha rixa com sapatos de noiva. Eu acho que não tem coisa mais feia que sapato de noiva, é por isso que fica escondido embaixo do vestido! Aí inventei de querer casar descalça na praia, fazendo o menor alarde que eu pudesse, o que também não vai rolar, porque parece que na Suécia o povo paga uma taxa pra igreja todos os meses, e eu não tenho coragem de dizer:

"Amorzinho, sabe aquele dinheirão que voce pagou pra igreja a vida inteira, pois é, jogou tudo no lixo, porque eu quero casar no quintal da tua mãe que eu acho lindo, de frente pro lago!"
Não rola, né! Pois é, provavelmente vai acontecer um casamento na igreja daqueles como eu nunca sonhei. Mas vou dar uma chance também, porque assim como naquele comercial da Pepsi, comigo, o "pode ser" acaba sendo muito melhor do que as coisas que eu tinha pensado e planejado.
Agora sobre o casamento real de Kate e William, e as pessoas que estão postando no Facebook uma ode a república, vou me pronunciar, sim:

Acho palhaçada.

As pessoas já estão vacinadas o bastante, admiram a festa que foge do padrão do dia a dia, todos ainda precisam do espetáculo para fantasiar e enfeitar os dias, e pra mim, é no mínimo ingenuidade pensar que estamos com saudade de um regime! Tenha dó!
Ah, as monarquias gastam muito dinheiro. Sim, gastam, mas também acabam produzindo, tanto a Suécia quanto a Inglaterra tiraram ótimo proveito de seus "casamentos reais", proveito financeiro e publicitário inclusive. As pessoas precisam abrir seus horizontes, e protestar com base em dados reais. Odeio injustiças, mas também odeio gente panfletária! Quanto custou cada um desses casamentos só me interessa saber se esse dado vier numa folha onde conste também o quanto ele produziu, direta ou indiretamente! Se a relação custo-benefício não for boa, aí sim me pronuncio! Vamos parar com isso de ficar defendendo as coisas que parecem corretas...porque às vezes, não digo sempre, mas às vezes, as aparências enganam...

Nenhum comentário:

Postar um comentário